"Não há um milímetro do mundo que não seja saboroso" (Jean Giono)

terça-feira

A Song For You - Ray Charles



I've been so many places in my life and time

I've sung a lot of songs, I've made some bad rhyme

I've acted out my life in stages

With ten thousand people watching

But we're alone now and I'm singin' this song for you



I know your image of me is what I hope to be, baby

I've treated you unkindly but girl can't you see

There's no one more important to me

So darling can't you please see through me

'cause we're alone now and I'm singin' my song for you



You taught me precious secrets of the truth, withholdin' nothin'

You came out in front and I was hiding

But now I'm so much better so if my words don't come together

Listen to the melody cause my love's in there hiding



I love you in a place where there's no space or time

I love you for my life, 'cause you're a friend of mine


And when my life is over, remember when we were together

We were alone and I was singin' my song for you



I love you in a place where there's no space or time

I've loved you for my life, yes, you're a friend of mine

And when my life is over, remember when we were together

We were alone and I was singin' my song for you, yes

We were alone and I was singin' this song for you, baby

We were alone and I was singin' my song,

Singin' my song, singin' my song, singin' my song

Singin' my song

Lunar...


"Uma brisa ergue-se do interior da terra e chega a mim, à consciência de mim: o meu rosto, os meus lábios, o meu corpo tocado por essa brisa. Caminho por entre essa brisa a passar por mim, como se atravessasse uma multidão invisível. A brisa, ao tocar os meus olhos, transforma-se em lágrimas que descem frias pelo meu rosto. Os meus lábios. Sinto-as e sinto a memória das vezes que chorei o desespero parado, mais triste, de lágrimas que descem lentamente pelo rosto. O tempo passa por mim como qualquer coisa que passa por mim sem que a consiga imaginar e as lágrimas, que eram apenas a brisa a tocar os meus olhos, começam a ser lágrimas de desespero verdadeiro..."

(José Luís Peixoto)

segunda-feira

Porque não estas aqui...




Bebo um café com a tua ausência
E acendo um cigarro à nostalgia


Jogo xadrez com a tua história
E acaricio as costas à memória


Canto uma canção ao nada
E gozo com a melancolia


Conheço-te quando ris
E os teus gestos ao amar


Porque nós não estamos onde o corpo está
Mas onde sentem a nossa falta

sexta-feira

Aperto no Peito

Because a part of my heart is alone and so faraway!...

quarta-feira

A Minha Pequena Biografia - Desafio




Espelho do sol...Nostalgia da primavera



Tentei buscar inspiração nos meus escritores preferidos, nas minhas músicas predilectas, no que via e ouvia a minha volta, mas acabei por encontra-la bem perto...dentro de mim. Para esta minha biografia, em resposta ao desafio colocado pela Menina dos Olhos de Água, olhei para dentro e perguntei "de quê és feita?", "de onde vens?", "como és?", "como sentes?"... A resposta encontra-se nessas 6 palavras, numa dicotomia que sempre fui e em tudo sinto.

Lamento não dar continuidade à cadeia do desafio, mas sinto-me ainda uma "intrusa" por entre as tão belas almas que leio por cá.

terça-feira

Perfume a Melancolia



Sinto… o perfume a melancolia


Porque tudo o que escrevi fui busca-lo à tinta dos teus olhos,
Tudo o que escrevi foi o teu sorriso que mo ditou


O céu acha que te conhece, ele é tão bonito…que deve ser verdade,
Mas sou eu que te beijo com meus olhos húmidos de saudade

sexta-feira

Encontro-me...

fechada neste quarto com paredes de cortiça
muda de tanto gritar e surda de tanto ouvir...

Cega de tanto querer ver!

Toca-me com o teu olhar


Conheceram-se já há muito tempo
Os seus olhos tocaram-se
E um suspiro serviu de consolo
Amaram-se e de mão dada
Hoje caminham juntas
Alegria e Loucura

Rádio Sabor a Canela

Sabores Anteriores